You Tube será alternativa para acompanhar os Jogos Olímpicos

Esta é a proposta do Comitê Olímpico Internacional (COI), com o lançamento do seu próprio canal de vídeos no You Tube, dedicado à cobertura dos Jogos Olímpicos de Pequim.

A motivação do COI é resultante de dois aspectos: diversas regiões da Ásia, África e Oriente Médio, os direitos de transmissão da Olimpíada não foram vendidos e estratégia do COI em evitar que retransmissões “genéricas” sejam realizadas pela web.

De acordo com reportagem do IDG Now!, o canal do COI no You Tube estreia hoje e contará com videoclipes de diversas competições e só poderá ser acessado dos territórios sem direitos de transmissão.

Anúncios

Cineastas independentes ganham espaço no You Tube

O You Tube busca estratégias para deixar de ser apenas um “galpão” de dados transformando-se em um produtor/facilitador para novos produtores, seja na sua divulgação e/ou promoção. Prova disso é o Screening Room.

Screening Room é o novo canal lançado pelo You Tube para potencializar a produção independente de filmes. Entretanto, não é apenas um novo “espaço”, mas, sim, um novo modelo de negócio. Isso porque, além da busca de receita gerada no próprio You Tube (via publicidade digital), haverá a exibição dos trabalhos em espaços físicos e parcerias com redes de televisão para veiculação dessas obras, bem como os filmes poderão ser comprados em formato digital ou DVD, e os autores receberão parte do lucro gerado com os anúncios publicitários.

Mais informações aqui

YouTomb

Analisando o YouTomb percebe-se que a maioria dos vídeos removidos do You Tube foi realizado por atentarem contra o copyright e/ou conteúdos inadequados (em grande parte pornográfico). Tal análise é possível através do YouTomb que permite responder quem pediu a exclusão, em que categoria ele estava e quanto tempo o clipe ficou no ar.

De acordo com IMaster, o projeto “dedo-duro” foi criado pelo grupo MIT Free Culture, que declarou ter ficado interessado no assunto após o lançamento de uma ferramenta do Google, proprietária do portal, que analisa se o vídeo enviado infringe direitos autorais.

Jornalismo colaborativo no You Tube

Citizen News é o nome do canal criado pelo You Tube para potencializar a produção colaborativa dos seus usuários. Em formato de videoblog, os conteúdos noticiosos serão agrupados e apresentados.

Importante passo do You Tube para destacar a própria “estrutura colaborativa” que alimenta o site. Iniciativas como essa explicam os motivos para que jovens da América Latina preferem a internet à televisão.

Os diversos canais criados no/pelo You Tube rompe com o “aprisionamento espaço-temporal” que a grade de programação estabelece com a audiência, altera a própria lógica do cidadão “aparecer” no noticiário (geralmente três princípios: quando ele é a notícia, quando ele é atingido pela notícia ou quando é fonte para a notícia), a co-autoria embaralha tais princípios, ora o cidadão é notícia, faz a notícia, é fonte, um mix que coloca em debate os próprios critérios de noticiabilidade dos mass media e os valores que configuram o jornalismo como uma instituição social. Para quem pesquisa o jornalismo colaborativo é uma excelente “objeto” para analisar a relação dos gêneros televisivos com o jornalismo open source.

Via JW

O uso da internet na eleição dos E.U.A

E continuam as experiências tecnológicas durante a eleição norte-americana. A primeira vem da ala democrata, que pela primeira vez permitiu que os seus membros, em outros países, votem durante as prévias eleitorais. O sistema é simples: o eleitor faz o login no site dos democratas, ocorre uma verificação dos cadastrados na lista de aptos a votação, daí é gerado um código de segurança para que a escolha seja efetuada. Segundo a empresa Everyone Counts (companhia californiana com experiência em vários pleitos na Inglaterra), o sistema impede a repetição dos votos.

O Partido Republicano não permite a votação pela internet.

A segunda boa experiência realiza-se no You Tube. Artistas declaram apoio aos candidatos em vídeos publicados no site. Will.i.am, um dos integrantes do Black Eyed Peãs juntou-se à atriz Scarlett Johansson, ao cantor John Legend e a cantora Nicole Scherzinger, do grupo The Pussycat Dolls no apoio à Barack Obama.

Assista ao vídeo de apoio ao Obama protagonizado pelo vocalista do Black Eyed Peãs

Destaque para o Obama que vem utilizando a internet como elemento essencial em sua campanha, sem falar no efeito simbólico, uma vez que Obama pretende criar uma imagem “renovadora” (nada melhor que a internet, não?), diferente da roupagem “velha guarda” da sua concorrente democrata, Hillary Clinton.

Em tempo, 25% dos norte-americanos recorrem à internet para manterem-se informados sobre as eleições. A televisão ainda lidera o ranking. Os dados são do instituto independente Pew Research Center.

* Para entender a eleição ianque fica a sugestão do infográfico elaborado pelo IG.

 

ig.jpg

Rainha da Inglaterra divulgará tradicional mensagem natalina no You Tube

A melhor metáfora para explicar o déjà vu é o Natal. Presentes, Papai Noel, e$pírito natalino, peru a$$ado, panettone, vinho…Só em pensar experimento os três tipos de déjà vu, segundo a proposta de Arthur Funkhouser:

Déjà vécu – utilizado como ‘já visto’ ou ‘já vivido assim,’

Déjà senti – revela algo “já sentido”.

Déjà visité – sensação é menos comum e envolve um estranho conhecimento de um novo lugar.

Porém, (tem coisa mais déjà vu do que este porém?), um fato novo ocorerrá neste Natal. Matéria publicada na Folha de São Paulo indica que  a rainha da Inglaterra, Elizabeth 2ª, vai divulgar suas tradicionais mensagens de Natal no YouTube pela primeira vez. O vídeo poderá ser visto no dia 25 de dezembro a partir das 13h (em Brasília). No canal real hospedado no You Tube consta um vasto arquivo com informações da rainha.

rainha-da-inglaterra.jpg

Como não poderia deixar de ser, o déjà vu repete-se em nota oficial real divulgada para explicar o motivo da queen “aparecer”no You Tube:

“a rainha está consciente de que é preciso atingir um número maior de pessoas e adaptar-se aos meios de comunicação mais adequados”.

Crédito: (c) John Swannell / Camera Press

Entrevista com Alex Primo

 

Entre um vídeo de Led Zepplin e Mr. Bean no You Tube, sabe-se lá como encontrei uma entrevista  com Alex Primo comentando o seu livro mais recente, “Interação Mediada por Computador”.

A entrevista fora realizada por Juremir Machado da Silva, no programa Livro Aberto e esta dividida em três vídeos. Seguem abaixo com uma pequena descrição do que será encontrado em cada um deles.

Confira:

Parte I

Primo explica o objetivo da sua obra: compreender o indivíduo e sua interação com as máquinas, bem como as influências da rede mundial de computadores sob as relações interpessoais. O foco do livro é analisar o inter (o que estar entre) as interações mediada digitalmente.

Parte II

É abordado a reconfiguração da cognição após a sociedade em rede. Primo faz uma abordagem sistêmico-racional, onde a alteração de uma PARTE transforma o TODO. Desse modo, a partir do momento em que a tecnologia digital integra a vida humana, novas relações são constituídas.

Há reflexões sobre o tempo (o tempo continua o mesmo, porém o que mudou foi a nossa percepção sobre ele) e crítica à “inteligência coletiva” de Lévy. “Nós não estamos pensando juntos, não há um consenso e os consensos são perigosos porque geram um pensamento comum”, argumenta.

Parte III

Os questionamentos passam pela “inclusão digital” e defesa da web 2.0 como sinônimo de cooperação e a Wikipedia como o ícone deste estágio. Para Primo, devido a velocidade dos upgrades será difícil ocorrer uma grande revolução no que tange a internet. “ As revoluções serão contínuas”, sustenta.