BusTv: uma péssima tv no buzú

Na volta para casa ontem conheci o tão falado (off e online) BusTV. É apenas uma televisão em um ônibus transmitindo propagandas, vídeos engraçados e clipes músicais (ontem tocou Arnaldo Batista com a histórica Princesa, para ter noção da atualidade do BusTV).

Achei que a “estrutura” montada não permite que todos os usuários assistam a tv. Como o celular havia descarregado não deu para tirar fotos. Mas quem estar nas primeiras filas do mesmo lado do cobrador por exemplo, não tem como ver o aparelho, quem está no fundo então… Sem falar na sonoridade, as caixinhas de som foi colocada no meio de ônibus e tem pouca potência, logo nem todo mundo consegue ouvir o que está a passar.

Pior do que as falhas do “layout” e a própria concepção do que é uma Tv no ônibus é a descrição institucional encontrada no site do BussTV. Coloquei em verde alguns comentários após meu contato com a televisão do buzú.

***

A TV do  Ônibus! (acho melhor a TV NO do que DO)

Trata-se de uma mídia inédita e que consiste na instalação de monitores de LCD no interior dos ônibus de grande circulação transformando seus itinerários em uma forma de entretenimento (tudo bem, dei risada com alguns vídeos clássicos do You Tube) com conteúdos (seria melhor propaganda variadas) dos mais variados temas e informações, além de proporcionar total segurança (segurança? não entendi…) aos passageiros.

Toda a programação da BusTV é voltada ao interesse dos passageiros dos ônibus (fizeram pesquisa? penso que o telespectador, como sempre foi imaginado) com conteúdos interativos (interativos?, essa foi foda, não existe nem o controle remoto, imagine) dos mais variados temas como notícias (durante 40 minutos não vi uma notícia), moda, cultura, esportes, educação, horóscopo, entrevistas (também não vi), gastronomia (não vi), lazer, e para relaxar, o “momento zen´´ (não vi). Queremos deixar sua viagem mais rápida e divertida!

Além disso, a BusTV se envolve no Projeto de Comunicação com todas as forças vivas da Cidade que tenham a necessidade de se comunicar com os Cidadãos com informações de interesse público. A BusTV é uma TV educativa e com Responsabilidade Social! (por favor, andamos de ônibus mais não somos idiotas. Quais forças vivas dialogam com o BusTV? colocar uns vídeozinhos do Arnaldo Batista é interesse público? por fim: educativa e com Responsabilidade Social – ainda com exclamação no final – não passa de um delírio.

A TV no Ônibus (viu que estava certo)

Crédito da foto

Anúncios

Censura na web ou e-censura

policiavirtual.jpg

A Ong Global Integrity realizou uma pesquisa com 50 países para entender o relacionamento entre os governos nacionais e a internet. O questionário teve como centro duas perguntas:

1- Os internautas estão impedidos de acessar matérias políticos na Internet?
2- Há possibilidade de publicar conteúdo político na internet?

O resultado geral fora o entendimento dos governos nacionais de que a censura na internet é quase impossível e não impede as críticas da população. A maioria dos países pesquisados não realizam “censura” na web, quando o assunto é política. Porém, surgiram algumas pérolas:

Na Argélia não existem filtros, mas o país o proíbe a hospedagem de conteúdo crítico sobre o governo e monitora salas de bate-papo.

Além de dificultar o acesso à tecnologia para a produção de conteúdo, o Egito tem utilizado a força física para intimidar os opositores do atual governo. Assim como na Tailândia, que também monitora os fóruns na web.

Apesar do baixo acesso à internet no Cazaquistão, o governo utiliza sistema que torna lento a navegação/acesso às páginas críticas ao poder público. A demora é tanta que os usuários acabam desistindo de tal conteúdo.

Rússia combina inteligência hacker e censura política para combater as críticas. Por fim, na China, campeã de censura na rede mundial de computadores, utiliza filtros, vigilância, monitoramento para manter a ordem.

<< Confira a pesquisa na íntegra>>