Jornalistas trabalham mais após a Internet

Pesquisa da PRWeek 2010 / PR Newswire Media Survey sobre os profissionais e o mercado de comunicação nos Estados Unidos e Canadá indica que a Internet é o principal desafio e a oportunidade para o setor.

De acordo com a pesquisa, o medo de perder o emprego é continua presente entre os profissionais, mesmo após a crise econômica. Por outro lado, a Internet é vista como uma possibilidade de “fazer” um jornalismo melhor, porém, a carga horária ficou muito maior com a adoção das ferramentas online/integração das redações/migração do impresso para o online.

Principais conclusões

Jornalistas trabalham mais após a Internet

70% dos entrevistados disseram que a carga de trabalho ficou ainda mais pesada após a necessidade de escrever para Web se incorporou as rotinas produtivas. Dos entrevistados, 62% são obrigados a escrever para as seções de notícias online, 39% escrevem para o blog do jornal. Nos Estados Unidos,  37% dos jornalistas também são obrigados a atualizar o Twitter.

No Canadá, o índice é 55%, 30% e 30%, respectivamente.

Cresce o medo de perder o emprego

31% dos entrevistados disseram que temem a demissão. Em 2009, esse índice foi de 22%. De acordo com a pesquisa, o “corte de pessoal e no orçamento” impactam negativamente em seu trabalho. No Canadá a situação é semelhante, sendo o índice de “pessimismo” 21%.

Internet é a tendência para os próximos três anos

57% dos entrevistados disseram que a migração para o ciberespaço será a principal fator para o desenvolvimento dos jornais. Essa migração é visto como positiva, tanto como na evolução da interação com a audiência como  no desenvolvimento de novos produtos.

A velha utopia e a vaidade ainda reinam

Educar e informação é apontado como o principal papel dos jornalista na sociedade (50%). O curioso é que após a Internet, os jornalistas acreditam que está mais fácil “opinar” e que o seu papel não é apenas informar, mas também interpretar as notícias.

Questionados sobre o sucesso e a importância da construção de uma marca pessoal, 52% responderam como extremamente importante ou importante.

A ilusão dos blogueiros e a relação dos jornalistas como as redes sociais e mídias colaborativas

Para 52% dos blogueiros entrevistados, ele são jornalistas. De qualquer sorte, 20% deles vivem dos seus blogs e atuações na Web.

91% dos blogueiros outros blogs para pesquisa e apuração de uma informação. Nesse quesito, cai para 61% quando o recorte são jornalistas (explicável uma vez que blogs se baseiam em opiniões pessoais e jornais em apuração e novas notícias).

48% dos blogueiros ficam atentos as redes sociais como pauta. Esse número cai para 31% (jornais) e 27% (revistas).

Quando o assunto é Twitter (e seu uso como fonte de pesquisa) o índice é 68% para blogueiros e 36% para jornalistas – 19% repórter de jornal e 17% de revista impressa.

RP enxerga nas redes sociais uma possibilidade de diálogo com o público

74% ainda acreditam que e-mail é a melhor forma de divulgar um release e afins. Porém cresce de 31% (2009) para 43% aqueles que apostam nas redes sociais como mecanismos de ventilar as informações sobre seus assessorados.

Anúncios

Potencialize o diálogo. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s