O que os jornalistas podem aprender com o twitter

Este post começa exatamente às 16h, após ligar para a Central de Telecomunicações das Polícias Civil e Militar da Bahia, responsável pelas ocorrências no estado. Uma sargento avisa: incêndio no Instituto de Química da UFBA. A velha pergunta jornalística (para decidir se o fato será o notícia ou não): é grave? Ela responde: É.

Vou ao Twitter e pergunto: opa, o clima esquentou aqui no #plantão. incêndio no Instituto de Química da UFBA. alguém sabe de alguma coisa?

O @fernandofirmino me manda – RT: @paulajanay: Acabou de haver uma explosão em Química, aqui na UFBA. Tá saindo uma fumaça preta de um dos prédios @herdeirosdocaos

Dou uma olhada no perfil da @paulajanay, que estava próxima ao Instituto e manda notícias direto do front.

Acabou de haver uma explosão em Química, aqui na UFBA. Tá saindo uma fumaça preta de um dos prédios.

Incêndio no prédio de Química da UFBA, em Ondina. O terceiro andar do prédio está tomado pelo fogo. Os bombeiros ainda não sabem a causa.

@marcelayres – Acabo de voltar do prédio de química da UFBA onde ocorreu a explosão. Os bombeiros já controlaram as chamas e avaliam as causas do incendio

Novas pessoas entram na conversa

@nadjapereira diz @herdeirodocaos por fora man. vou por na band news fm e depois comenta @herdeirodocaos programação nacional nêssicu

Sim, tinha furado todos os jornais. Depois até comentei: eu ganho pouco, trabalho para caralho, mas furar a imprensa baiana não tem preço…hehehe

A partir daí as informações sobre o incêndio continuam, mas paralelamente começa uma análise da cobertura de outros veículos

@vinnymuniz argumenta – @herdeirodocaos – eu percebi esse plágio. temos que tocar fogo na AratuOnline agora! 😛 (a turma da aratu copiou o texto que tinha feito)

@tarushijio comenta – meus amiguinhos proto-jornalistas me dando orgulho @paylajanay @marcelayres ponham foto no twitpic AGORA! e depois me lança um alerta

@herdeirodocaos yuri, ótimo o texto. não sabia q era tão grave. ah, ‘cheiro’ tá sem o ‘r’. (vou lá faço a correção)

@biuzinha diz @herdeirodocaos o aratuonline sempre copia… falta de escrupulo…rs

@robsoncarneiro – O Atarde Online ignorou o incêndio na UFBA, ou eu estou com problema de cache no meu computador?

@rodrigocarreio – @herdeirodocaos Parabéns, cara. Acabei de registrar esse caso para compor minha monografia da Pós, que farei sobre o twitter.

A @adrianaalves questiona – @herdeirodocaos vc ta no local?. Respondo: Não. Ela devolve: @herdeirodocaos um repórter móvel faria a diferença nestas horas, hein? rs.
Digo: pois é…mas a cobertura foi possível graças ao twitter e uma repórter do jornal que correu para lá e o nosso contato foi por telefone. Aï a @adrianaalves comenta – @herdeirodocaos sim, claro. e sei como é que é isso….um s-u-f-o-c-o. mas pensei que ai tivesse mais estrutura…..Finalizo – sem comentários.

Ainda sobre a relação jornalismo x twitter a @nadjapereira polemiza – acabou de ter plantão na band news fm daqui e nada de falar do fogo na ufba. quem num tem twitter…caça com o quê?

Respondo – @nadjapereira – nossos amigos jornalistas nem sabem o que é isso. daqui a pouco eles dão uma olhada aqui no site do correio. hehehe

Dito e certo…Bom, o incêndio durou cerca de 4h. ninguém ficou ferido, mas os prejuízos foram enormes para alunos e professores. A matéria final que fiz lá para o Correio pode ser lida aqui.

Evitei teorizar muito a relação entre jornalismo e twitter, mas certamente este exemplo poderá ilustrar alguma pesquisa futura. Achei-o de uma grande simbologia para o jornalismo baiano, para o próprio “fazer” jornalístico. Estava sozinho na redação, sem estrutura, meus olhos eram a turma que mandava informações pelo twitter, contatos telefônicos e a repórter que lá estava.

Mas, sem dúvida, o diferencial da cobertura do Correio foi o twitter. Os outros veículos citados acima, por questões diversas não estão no twitter. Pena, perdem boas histórias.

Por fim, creio que este exemplo sinaliza um outra abordagem/relação do twitter e jornais. Podemos fazer mais do que distribuir, via feeds, o conteúdo do jornal, podemos tornar a nossa cobertura jornalística mais dialógica e colaborativa.

Anúncios

5 Respostas para “O que os jornalistas podem aprender com o twitter

  1. O Twitter se tornou uma fonte jornalistica muito mais rápida e posso dizer que “eficiente”, já que a notícia/fato/acontecimento é dada na hora, no local (às vezes) e distribuída rapidamente dentro da rede.

  2. Acredito que com o twitter as informações podem ser obtidas pouco depois do “evento” em si ocorrer. Existem muitas coisas inúteis por lá, mas de um modo geral, existe sua importância de existir. Cristina.

Potencialize o diálogo. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s