Os ensinamento de Mianmar

37946_yangon-today_122_1081lo.jpg

Em um post anterior fora comentado o poder dos dispositivos móveis em ações políticas. Em suma, sustentei que as novas tecnologias trouxeram consigo a expectativa de auxiliar o déficit democrático da sociedade contemporânea.

Ao ler matéria do G1, sou informado de grandes protestos em Mianmar. Sim, mas onde é mesmo que fica Mianmar? Enfim, fui apresentado hoje a cidade.

<<Conheça Mianmar>>

Diz a reportagem que em 1988 ocorreu o mesmo protesto, de força e objetivos semelhante (derrubar o governo), contudo devido a censura das autoridades locais (segundo a matéria uma ditadura sangrenta e um dos países onde se tem menos liberdade de imprensa no mundo) o planeta não pode conhecer as crueldades contra o povo!

Mas, e aí que entra a internet e os dispositivos de registro (celulares, máquinas fotográficas, filmadoras): os jovens estão a fazer a cobertura das manifestações através dos seus aparelhos celulares e máquinas digitais e publicam textos e imagens na internet e/ou enviam para os mass media.

Alguns dos vídeos produzidos sobre os protestos

Neste caso, especificamente, a conexão à rede mundial de computadores e a liberação no pólo de emissão da informação, proporcionada pela internet, é capaz de gerar uma nova dimensão da realidade política e visibilidade pública sobre Mianmar.

Cabe destacar também, como os blogueiros e os repórteres-cidadãos tornam-se protagonistas na produção da visibilidade pública e fontes valiosas para os medias tradicionais. O exemplo desta cobertura é o blog de Ko Htike (que nasceu em Mianmar, mas reside em Londres), que abandonou temporariamente os post sobre literatura, para figurar como uma referência sobre as notícias dos conflitos.

Em entrevista à BBC, o blogueiro explica a estrutura da produção de conteúdo.

“Eu tenho cerca de dez pessoas por lá, em locais diferentes. Eles me enviam seu material de cibercafés, por meio de páginas de acesso livre ou às vezes por e-mail”

Enquanto algumas empresas questionam o que fazer com o conteúdo colaborativo, experiências como esta favorece à espera pública. As barreiras ou preconceitos contra blogueiros e/ou repórter-cidadão, são substituídas por membranas que complementam as informações.

Anúncios

5 Respostas para “Os ensinamento de Mianmar

  1. Pingback: Metade dos munícipios baianos não têm sinal para celular: ciberjornalismo

  2. Pingback: Metade dos munícipios baianos não têm sinal para celular « Herdeiro do Caos

  3. Pingback: Metade dos munícipios baianos não têm sinal para celular «

  4. Pingback: Tanto bate até que fura… « Herdeiro do Caos

Potencialize o diálogo. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s